A pauta é Senado: Jean (Lula) x Fábio/Rogério (Bolsonaro)



A política está pegando fogo na disputa pela cadeira única do Senado que irá ao pleito eleitoral em 2022. O Senador Jean (PT) atual detentor da cadeira vai para disputa democrática, colocando seu trabalho realizado nesses últimos anos à prova.


Em nossa coluna já conversamos sobre a polarização das eleições em nível nacional e seu impacto local. Lula e Bolsonaro a cada pesquisa vão mostrando que o sonho de uma terceira vai ficando impossível e isso pode embaralhar as pretensões de outros atores políticos de se destacarem no pleito de 2022 aqui no estado.


Mas voltando ao nosso Rio Grande do Norte, vamos focar no campo da direita e da esquerda para disputa ao senado. No campo da esquerda o Senador Jean, que em pesquisa recente (BigData/Band/96) viu que a associação do seu nome ao do ex-presidente Lula lhe rendeu a dianteira no cenário apresentado, não perdeu tempo e aparece juntamente com Lula em evento do PT em São Paulo. O Senador destacou em suas redes sociais sua participação que contou com um momento reservado para conversas que certamente devem ter uma ponta eleitoral no meio e em vídeo que circula nos grupos Lula faz diversos elogios ao senador petista local, Jean ganha força no jogo.


Na tentativa de se agarrar ao bolsonarismo, Fábio Faria (PSD) e Rogério Marinho (Sem partido) vão nos próximos dias realizar eventos no estado a fim de capitalizar os investimentos que o governo federal tem feito. Vão usar a máquina de seus ministérios afim de estreitar as relações com atores políticos (prefeitos) e também com a sociedade. Dito por alguns como “fogo amigo”, Rogério está tendo que lidar com fortes ataques que repercutiram em nível nacional, somou-se ao “tratoraço” o “mirante” e agora também a possibilidade de seus eventos de lançamento de candidatura e entrega de obras se configurarem como campanha antecipada. Já Fábio terminou a semana com notícia de que finalmente o leilão do 5G vai sair.


As peças no tabuleiro da política estão se movimento e para o senado os atores estão cada mais próximos dos seus puxadores de voto em nível federal. E para os demais atores que pleiteiam a cadeira hoje mais desejada pela política local mas que se isolam da polarização nacional vamos vê o desenrolar do jogo.