Academias de Pau dos Ferros/RN montam cartéis em tempos de pandemia

Acordos entre empresas concorrentes, que em situação normal podem ser considerados infrações, prejudica fortemente o consumidor - já que passa a ter uma menor liberdade de escolha.

Empresas de Pau dos Ferros/RN montam cartéis para tentar driblar efeitos da pandemia

Quem já não se deparou com uma grande semelhança nos valores na hora de abastecer nos postos de gasolina, ou atualmente se depara com os valores das academias em um valor fixo ou acima - mas nunca abaixo? Essa situação é conhecida como oligopólio.


Com a reabertura das academias em Pau dos Ferros/RN, internautas se queixaram do aumento das mensalidades, onde todas fixaram o valor mínimo linearmente, com o pretexto do tempo de inatividade e novos gastos, como álcool em gel e equipamentos de proteção, apesar de que essas responsabilidades não deveriam ser repassadas para os alunos, que só saem prejudicados por conta da limitação no poder de escolha.


Em relação aos custos, não aumentaram tanto, que justificassem um aumento de até 50% nos preços da mensalidade, já que o público se espalhou no decorrer do dia, havendo alterações nos agendamentos, nenhuma das academias está deixando de receber alunos, no qual, estão estabelecendo limites de alunos por horário, ou seja, conversa para boi dormir. Visto que, os alunos apenas foram remanejados para horários que anteriormente se tinha menor movimento, ou seja, não foi negado aluno.


A única explicação para a redução de número de alunos, é o medo de muitos de irem para uma academia durante a pandemia, o que não justifica o aumento da mensalidade, por conta da relação de alunos, por baixa demanda, muito pelo contrário, deveriam fazer preços mais acessíveis.


Assim como se vê nos postos de gasolina, que parecem combinar entre si quais preços irão utilizar nos combustíveis. Como a quantidade de postos continuará a mesma, e é difícil se deslocar para outros lugares para comprar gasolina, os consumidores ficam “reféns” do cartel – que passa a ditar as regras do município.


Por prejudicar amplamente todos os consumidores, participar de um cartel é considerado crime.


No Brasil, essas e outras práticas que atentam contra a livre-concorrência são monitoradas principalmente pelo CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – um órgão membro do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC).

PUBLICIDADE

© 2020. Portal Potiguar. Todos os direitos reservados.