Advogada candidata a vice-prefeita procurada pela polícia divulga carta a população de João Dias

A advogada e candidata a vice-prefeita de João Dias, Damária Jácome, através de seus amigos e advogados, divulgou uma carta aberta a população de João Dias e Região, através da qual esclarece que é inocente das acusações de posse de armas de fogo.

Diz que o pai dela, o vereador Laete Jácome, também é inocente. Assegura que tem todas os documentos das seis armas que a policia apreendeu em sua casa, na cidade de João Dias. Diz que são 3 armas dela e 3 armas do pai dela, todas registradas na Policia Federal.

Ainda na carta, Damária diz que comprou as armas para defesa da família. Lembra que em agosto passado, bandidos invadiram a casa dela e do pai em João Dias, e dispararam dezenas de tiros. Diz que de forma bizarra, mesmo havendo provas de sobras, a Justiça decretou a prisão preventiva dela e do pai dela.

Damária Jácome está foragida da Justiça, buscando, através de advogados, reverter este quadro em instâncias superior da Justiça. Ela explica que tudo não passa de perseguição politica, que ela vem sofrendo desde que denunciou esquemas de desvios de recursos na Prefeitura de Joao Dias.

CARTA ABERTA À SOCIEDADE, DE DOUTORA DAMARIA JACOME 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Olá, meu amigos! 

É com muita tristeza, revolta e indignação, que venho através dessa carta aberta à sociedade, esclarecer o momento de injustiça que eu, Dra Damaria Jácome, advogada e candidata à vice-prefeita da cidade de João Dias/RN e o Vereador Laete Jácome, meu pai, estamos sofrendo nesses últimos dias. Me mantive calada durante esse tempo esperando que a justiça fizesse seu trabalho, na demora vejo que não há razão para me calar mais e é preciso mostrar a verdadeira versão dos fatos. 

É de conhecimento de todos, os últimos acontecimentos que de forma estranha tomaram uma grande repercussão em todos os jornais e blogs da Região. Neste último sábado, 17 de outubro de 2020, a minha residência foi invadida por 23 policiais e mais dois Delegados da Polícia (DEICOR/PCRN, de Natal). Chegaram na minha casa sem apresentar nenhum mandado de busca e apreensão, alguns deles com vestes não condizentes (de shorts/bermudas, chinelo), e todos com os rostos cobertos por touca "ninja". 

Chegaram truculentamente, de forma agressiva e atirando, como pode ser visto através das fotos e das muitas testemunhas que presenciaram o momento de terror vivido naquele sábado. Por medo de estarmos sendo vítimas mais uma vez de um atentando (como o que ocorreu poucos meses antes), meu pai, Laete Jácome, pediu que estes policiais, que chegaram de forma assustadora apresentassem o mandado de busca e apreensão, o qual não foi apresentando em nenhum momento, então meu pai pediu para que os policiais então esperassem a chegada de um advogado, para poder termos um pouco de garantia de segurança (pois temíamos pelas nossas vidas), que se tratavam realmente de policiais; pois, como todos sabem, dia 03 de agosto passado, nossa família foi vítima de um atentando terrorista onde chegaram cerca de 10 homens fortemente armados em carros, com sirene e se identificando como policiais, e destruíram parte da nossa residência. Isso pode ser facilmente provados através das reportagens divulgadas em vários blogs e jornais. 



Mossoró Hoje

PUBLICIDADE

© 2020. Portal Potiguar. Todos os direitos reservados.