Além do viagra, Exército compra 60 próteses penianas infláveis de até 25 cm


Depois da polêmica em torno do viagra, a notícia agora é que o Exército Brasileiro parece interessado também em próteses penianas infláveis. A informação é do senador Jorge Kajuru e do deputado Elias Vaz, que informaram que vão pedir ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério Público Federal (MPF) investigar a situação. Segundo os parlamentares, o Exército comprou 60 próteses ao valor de R$ 3,5 milhões.


De acordo com os parlamentares, foram feitos três pregões eletrônicos no ano passado para comprar as próteses penianas infláveis de silicone, com comprimento entre 10 e 25 centímetros. As informações constariam no Portal da Transparência do Governo Federal, inclusive.


O primeiro pregão teve a compra de dez próteses autorizadas no dia 2 de março de 2021, no valor de R$ 50.149.72 cada, para o Hospital Militar de Área de São Paulo. O fornecedor foi a empresa Boston Scientific do Brasil LTDA.


Um segundo certame estabeleceu no dia 21 de maio de 2021 a aquisição de 20 próteses, ao custo de R$ 57.647,65 cada, para o Hospital Militar de Área de Campo Grande (MS). A empresa fornecedora foi a Quality Comercial de Produtos Médicos Hospitalares LTDA.


O terceiro pregão determinou no dia 8 de outubro de 2021 a compra de 30 próteses, orçadas cada uma em R$ 60.716,57, para o Hospital Militar da Área de São Paulo.