'Após indicação para o Ministério, recebi ameaças de morte', diz Ludhmila Hajjar


Após ter sido cotada para assumir o Ministério da Saúde, a médica Ludhmila Hajjar disse que foi ameaçada de morte. As ameaças partiram de pessoas contrárias à indicação da cardiologista para a pasta.


“Eu recebi ataques. Eu recebi ameaças de morte que duraram a noite. Eu recebi tentativas de invasão em hotel em que estava. Eu fui agredida com áudios e vídeos falsos com perfis. Mas eu estou firme e vou voltar para São Paulo para continuar minha missão que é ser médica. Vou continuar atendendo pessoas de esquerda e direita. Mas eu não tenho medo”, afirmou.


“O Brasil hoje precisa de uma liderança no ministério da Saúde, caso contrário a dívida que o Brasil vai pagar será imensurável”, completou Hajjar.

Ela declarou ainda que teve o número de celular divulgoado em grupos de WhatsApp e que tentaram, por 3 vezes, invadir o quarto onde ela estava hospedada.


A cardiologista mas declinou do convite para o Ministério.



O Antagonista

PUBLICIDADE

© 2020. Portal Potiguar. Todos os direitos reservados.