Bolsonaro: “Me sinto um presidiário sem tornozeleira eletrônica”


O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez uma espécie de desabafo, nesta terça-feira (19/4), durante discurso no lançamento da Marcha para Jesus, em Cuiabá (MT). O chefe do Executivo federal agradeceu a Deus por estar à frente do Executivo federal, mas destacou que a “missão não é fácil”. Ao público, ele disse que se sente um “presidiário sem tornozeleira eletrônica” no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.


“Por melhor que seja a residência onde eu esteja, o Palácio da Alvorada, com tudo o que se possa imaginar, o silêncio, a solidão… são ensurdecedores. Muitas vezes me sinto ali um presidiário sem tornozeleira eletrônica”, ressaltou.

Na sequência, o presidente continuou: “Mas sei que estou colaborando com o meu país, tendo boas pessoas ao meu lado — não apenas políticos que compõem o meu governo, bem como pastores, padres, cristãos, empresários, servidores, gente do povo — para nós vencermos qualquer obstáculo”.


“Sede de poder” Durante o seu discurso, Bolsonaro disse que em 2022, ano eleitoral, a “sede do poder” e o “vale tudo” voltaram a se fazer presente. Em sua fala, porém, ele afirmou que o país tem “um compromisso para com o futuro da geração”.


“Todos aqui que têm mais de 30 anos de idade sabem muito bem o que era o Brasil de poucas décadas e o que é o Brasil de poucos anos. […] Nós sofremos ou nos alegramos das escolhas que cada um faz. E essas escolhas podem nos marcar, não por pouco tempo, podem nos marcar por décadas. E todo mundo deve pensar nessa grande escolha que faz periodicamente”, declarou.