Bolsonaro mostra a apoiadores medalha 3 Is: “Imorrível, imbrochável e incomível”


Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro exibiu nesta terça-feira (31) a apoiadores uma medalha do “Clube Bolsonaro” com a expressão que costuma chamar de “3 Is”: “imorrível, imbrochável e incomível”. As palavras são repetidas pelo chefe do Executivo com frequência e já foram usadas por ele como resposta a perguntas sobre seu estado de saúde.


O objeto tem ainda uma foto de Bolsonaro. “Eu sou esse cara aqui, ó. Leia aqui. Mulher não pode ver isso não”, disse o presidente aos risos no Palácio da Alvorada. “Essa medalha não é qualquer um que tem, não.”


ICMS E COMBUSTÍVEIS Na ocasião, Bolsonaro reafirmou a apoiadores que o “grande problema” da alta no preço dos combustíveis é o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). O chefe do Executivo criticou governadores que, segundo ele, “não querem perder receita”. Disse que a cobrança do imposto é decidida “entre amigos”.


“Eles [governadores] não querem perder receita. E a média de cálculo [do imposto] é um negócio feito ali entre amigos, com a média de 15 dias do preço da gasolina, é entre amigos. Aí está sempre alto”, afirmou.


O ICMS é cobrado em cima do preço do combustível calculado por meio do valor médio ponderado ao consumidor final, reajustado a cada 15 dias. Cada Estado tem competência para definir a alíquota. O presidente disse ainda, sem citar nomes, que “dois governadores” estão “mentindo” quanto a cobrança do ICMS.

“Quando se fala em preço do gás, preço da gasolina, se o cara não entender o que cada ente recebe ele fica só me criticando. Eu repito aqui o problema é o ICMS. Vieram dois governadores agora dizer que estou mentindo porque o ICMS é 32% e não mudou nada. Não mudou, mas a Constituição manda botar um valor fixo”, afirmou.


“Então, tem 2 governadores, não vou falar o nome aqui, que estão mentindo falando que estou mentindo, eles que estão mentindo. Um aqui do Centro-oeste, que fala grosso o cara, ‘tá 32% o preço fixo’. Mas não fala que o 30% é em cima do valor total na bomba e tinha que ser em cima do preço da usina, da refinaria”, declarou. Na 2ª feira (30.ago), o presidente responsabilizou a “ganância” de governadores pelo preço dos combustíveis.


Poder 360