Cármen Lúcia muda voto e STF forma maioria por suspeição do Moro

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia mudou, nesta terça-feira (23), sua posição sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro no processo do triplex do Guarujá, acolhendo os argumentos da defesa do ex-presidente Lula.

Ela elencou os fatos que a levaram a concluir que houve “quebra da imparcialidade” de Moro. Cármen Lúcia citou a condução coercitiva sem prévia oitiva de Lula; interceptação telefônica “ao arrepio da lei” antes de adotar outras medidas; divulgação seletiva de áudio da interceptação; e levantamento do sigilo da delação de Antonio Palocci antes das eleições de 2018.


“Houve parcialidade no julgamento”, concluiu a ministra.


Reprodução

O Antagonista

PUBLICIDADE