China diz à governadora Fátima que único meio de ter Coronavac é com o governador paulista Doria

Reprodução

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, assim como os demais gestores de estados brasileiros interessados ​​em adquirir doses da Coronavac – aplicação pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac – ouviu de um representante do governo da China, na última sexta-feira (5), que o governador paulista João Doria (PSDB) é o responsável pela intermediação do imunizante entre os chineses e os políticos brasileiros.


Os governadores buscam adquirir as vacinas por conta própria para acelerar a imunização e retomar as atividades econômicas. Sem chances de negociação com a China, os chefes estaduais vão pressionar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para que o governo federal autorize a compra dos imunizantes.


O acordo firmado entre o governo do Estado de São Paulo e o Partido Comunista da China prevê que as primeiras 100 milhões de doses da vacina produzidas pelo Instituto Butantan serão feitas com a importação de matéria-prima chinesa. Ao ultrassar a marca, o Butantan terá autonomia para fabricar o próprio IFA (insumo farmacêutico ativo) e fornecer com exclusividade a distribuição no Brasil.


Agora RN

PUBLICIDADE