Com agendamento online, emissão de RG no ITEP gera reclamações no RN

Reprodução

A pandemia da Covid-19 mudou a convivência e a forma como os serviços básicos são oferecidos à população, como, por exemplo, tirar o Registro Geral de pessoas, o RG. Atualmente, no Rio Grande do Norte, para retirar a primeira, segunda ou terceira via do documento é necessário agendamento prévio por meio do site da Central do Cidadão – com o objetivo de evitar aglomerações. O problema é que muita gente não consegue sequer agendar.

É o caso da doméstica Wilka Sany, de 47 anos, que há quase um ano ela tentava fazer o agendamento no sistema para realizar a carteira de identidade do filho Pedro Henrique, de 15 anos. Somente na última sexta-feira 12 a dona de casa conseguiu o documento do filho, após enfrentar uma fila de 300 pessoas para poder agendar um atendimento.


“Desde o ano passado que eu tentava no site e não conseguia de jeito nenhum. Na semana passada fui no dia 5 na Central do Via Direta e tinha mais de 300 pessoas que madrugaram para 100 fichas que foram distribuídas às 12h. Como não consegui fazer o RG naquele dia, eles agendaram meu filho e as outras pessoas para hoje”, relatou.


O Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), que emite o documento, esclareceu que o agendamento para emissão de identidades é feito exclusivamente online, através do site central.rn.gov.br, sempre a partir das 12h, de segunda a sexta. Diante da quantidade de pessoas que buscam o serviço, nem todo mundo consegue agendar para o dia que deseja, segundo o Itep.


O órgão também informou que, devido à alta demanda, ampliou o horário de atendimento das unidades que funcionam nas Centrais do Cidadão de Natal (Via Direta e Shopping Estação). Antes das 12h às 17h, agora o atendimento acontece das 9h às 18h45, de segunda a sexta-feira.


Com a ampliação do horário de atendimento, o Instituto informou que capacidade de produção diária de RGs em Natal saltou de 70 para 126 no Via Direta e de 70 para 120 no Shopping Estação.


O diretor do Itep, Marcos Brandão, alegou que o órgão e a maioria dos serviços públicos oferecidos atualmente no RN utilizam a internet e o agendamento para que a população tenha acesso aos atendimentos.


“O agendamento foi criado para facilitar a vida do cidadão, para ele não precisar enfrentar filas e sequer saber se vai ser atendido naquele dia. Mas seguimos estudando soluções que possam ofertar uma demanda ainda maior para a população”, argumentou.


Para Wilka, que desde o início da pandemia tentava agendar o serviço no site, o agendamento online não ajuda a população, já que nem todos têm acesso à internet para conseguir o atendimento pelo site – que nem funciona, segundo ela e outras pessoas com quem a reportagem do Agora RN entrou em contato.


“Isso é um horror, é um absurdo esse modelo de atendimento, nem todo mundo tem oportunidade de fazer o documento desse jeito, até porque tem gente que não tem internet. Hoje eu consegui fazer porque na semana passada não peguei uma das 100 fichas e agendaram quem sobrou para hoje. Após tanto tempo esperando vou poder inscrever meu filho no jovem aprendiz e fazer outras coisas, até porque esse documento serve pra tudo”, contou Wilka.


O Itep acrescentou que em 2020, mesmo diante da pandemia do coronavírus, foram emitidas em média, 15.366 identidades por dia. A direção do Instituto também se comprometeu a buscar soluções que possam aumentar essa oferta.

O RG é um dos documentos civis básicos, e alvo do Compromisso Nacional pela Erradicação do Sub-registro Civil de Nascimento e Ampliação do Acesso à Documentação Básica, estabelecido através de decreto.



Agora RN

PUBLICIDADE