Diferentes ‘linhagens’ do novo coronavírus podem causar reinfecção, diz médica

Ilustração

O primeiro caso brasileiro de reinfecção pelo novo coronavírus foi confirmado pelo Ministério da Saúde nesta semana. A virologista Marilda Siqueira, do Instituto Oswaldo Cruz, explicou, em entrevista à CNN nesta quinta-feira (10), que pequenas diferenças nos genomas dos vírus em circulação podem ser responsáveis por uma nova infecção em pacientes já recuperados da Covid-19.

“Essas diferenças não indicam uma maior gravidade da doença, pelo que conhecemos até o momento, mas este é um fenômeno que acontece com vários vírus que, ao longo de uma pandemia, em que há uma circulação intensa, eles podem apresentar diferenças no genoma”, disse.

Segundo a especialista, há vários tipos de coronavírus em circulação no Brasil e no mundo. “Nós temos várias ‘linhagens’ do coronavírus circulando concomitantemente em diferentes regiões do Brasil. Neste caso específico de reinfecção, a paciente apresentou, no primeiro episódio, uma ‘linhagem’ do vírus e, 116 dias depois, ela foi infectada com outra ‘linhagem’. Isso pode ter muito a ver com a capacidade de resposta individual de cada pessoa à infecção pelo coronavírus”, explicou a especialista.



CNN

PUBLICIDADE