Em meio à pandemia, RN registra 390 casos de AIDS e 572 de HIV

HIV é o vírus que quando em contato com o organismo positiva o paciente e a AIDS é o agravamento da doença, quando a pessoa desenvolve infecções oportunistas

No período de janeiro a outubro de 2020, já foram registrados 320 casos de AIDS, 572 casos de HIV e 109 de gestante HIV no estado. Somente em 2019, foram registrados 632 casos confirmados de AIDS no Rio Grande do Norte. 980 casos de HIV e 108 casos de gestantes com HIV. Em comparação com o ano de 2018, observou-se redução de 8,6% no registro de casos de AIDS, de 0,7% nos casos de HIV e de 5,2% nos casos de gestante HIV.

Hoje, existem 38 milhões de pessoas em todo o mundo vivendo com HIV. Foram 1,7 milhão de novas infecções até o final de 2019. No Rio Grande do Norte 7.423 pacientes tratam o HIV/AIDS nos 14 serviços de Assistência Especializada (SAE), localizado nos municípios de Natal, Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, São José de Mipibu, Santa Cruz, São Paulo do Potengi, Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros.

É importante diferenciar HIV e AIDS. HIV é o vírus que quando em contato com o organismo positiva o paciente e a AIDS é o agravamento da doença, quando a pessoa desenvolve infecções oportunistas. Uma pessoa pode conviver normalmente com o HIV e sem desenvolver a AIDS.

Para pensar uma forma de conscientização das pessoas sobre os riscos de transmissão da doença e de outras infecções sexualmente transmissíveis, o Dezembro Vermelho nasce a partir de uma Lei 13.504, publicada em 2017 no Brasil. No mundo, o dia primeiro de dezembro é celebrado anualmente desde 1988.

A melhor forma de prevenção é o uso de preservativo durantes as relações sexuais, além da utilização de seringas e agulhas descartáveis.



AgoraRN

PUBLICIDADE