Equipes de TV que entrevistaram Bolsonaro entram em quarentena

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal não descarta a possibilidade de acionar o presidente na Justiça caso algum dos envolvidos na cobertura teste positivo para a COVID-19

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) cobra que os veículos testem e afastem os profissionais que estiveram em contato com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ou com outros membros do governo nos últimos 10 dias. O mesmo não descarta a possibilidade de acionar o presidente na Justiça caso algum dos envolvidos na cobertura teste positivo para a COVID-19.


Teste Positivo

Equipes de TV que entrevistaram Bolsonaro entram em quarentena Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal não descarta a possibilidade de acionar o presidente na Justiça caso algum dos envolvidos na cobertura teste positivo para a COVID-19

De acordo com a Folha de S. Paulo, as equipes das três emissoras de TV que tiveram contato com o presidente Jair Bolsonaro durante entrevista em que ele anunciou estar com COVID-19 serão afastadas de suas atividades por medida de segurança.


Em nota enviada ao jornal, a EBC, empresa estatal que controla a TV Brasil, informou que todos os profissionais que participaram da transmissão foram afastados tão logo terminaram a cobertura. Eles ficarão em isolamento durante os próximos quatro dias, segundo informou a empresa. Depois deste período, farão exame para detectar o vírus causador da COVID-19. "O retorno desses profissionais às atividades será definido oportunamente, de acordo com os resultados. Todos os exames serão custeados pela EBC", informou a TV no comunicado.


"A assessoria de imprensa da CNN Brasil informou por mensagem que o repórter Leandro Magalhães e o cinegrafista Carlos Alberto de Souza ficarão isolados por sete dias e só retornarão ao trabalho depois que apresentarem resultado negativo para seus exames de COVID-19", disse ao jornal Folha de S. Paulo.

A Record foi procurada, mas não respondeu à reportagem até o início da noite.


Ao portal UOL, a emissora informou que o repórter Thiago Nolasco e os demais profissionais que tiveram contato com pessoas contaminadas serão afastados também por sete dias e, assim como no caso da CNN Brasil, só voltarão ao trabalho depois que testarem negativo para o novo coronavírus.

Estado de Minas

PUBLICIDADE

© 2020. Portal Potiguar. Todos os direitos reservados.