Institutos de pesquisa do RN questionam por que Fátima os deixou de lado

A Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte questionou, em nota enviada a imprensa, o porquê de terem sido "esquecidos" pelo Governo Fátima quando o Estado contratou um instituto de pesquisa do Piauí para fazer um levantamento sobre a covid-19 no RN. O valor pago a empresa Amostragem (PI) foi R$ 2 milhões. Segue a nota:


NOTA

A ASSINP – Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte, que tem em seu quadro de sócios os maiores Institutos de Pesquisa do Estado, ante noticiários locais que atestam que o Governo do Estado do Rio Grande do Norte firmou contrato para execução de pesquisas junto a um Instituto do estado do Piauí, com dispensa de licitação e com valores próximos a dois milhões de reais, vem a público externar sua surpresa com esta contratação, narrar e indagar ao Governo do Estado do Rio Grande do Norte o que segue:

 Primeiramente cabe ressaltar que reconhecemos a importância da referida pesquisa, sendo necessário para o planejamento e estudo do combate ao Covid-19 em nosso estado.

 Indagamos o motivo de nenhum dos Instituto filiados à ASSINP – Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte terem sido consultados sobre o interesse em participar da referida pesquisa, em que pese existirem Institutos em nossos quadros com mais de 25 anos de experiência, com serviços prestados em diversos estados, estando todos aptos a realizar tal trabalho.

Nesta oportunidade registramos nosso protesto pelo fato de em um quadro de crise econômica que o estado vivencia, sequer termos sido consultados para um serviço desta magnitude, esperando que nos próximos serviços o Governo do Estado do Rio Grande do Norte se lembre das empresas do seu próprio estado.

Natal, 24 de março de 2021. Atenciosamente, Diretoria da ASSINP – Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte

PUBLICIDADE