top of page

Ministério da Educação pretende dividir os IFs, criando dez novas reitorias


Foto: Reprodução

O Governo Federal encontrou um caminho nos Institutos Federais para empregar os aliados políticos: aumentar dez reitorias nas unidades existentes no País.


O comunicado foi feito internamente há poucas semanas, porém não estava claro se eram realmente novas unidades e nem como isto seria feito, considerando os fatos de que foram feitos cortes nos recursos e já faltam recursos humanos nas atuais unidades.


O tema foi esclarecido em reunião dos reitores dos Institutos Federais com o ministro da Educação Milton Ribeiro, nesta quarta-feira (1º), em Brasília. Na prática, não será aberta nenhuma vaga para novos alunos, professores ou técnicos administrativos. O MEC vai apenas dividir as unidades dos IFs nos estados.


Em São Paulo, por exemplo, as 37 unidades serão divididas em três reitorias e não mais apenas uma. O Rio Grande do Norte tem 22 unidades e, neste caso, passaria a ter duas reitorias.


A medida, que precisa ainda passar pela aprovação do Congresso, vai de encontro ao discurso do atual governo federal, que é de cortes nos recursos destinados pelo MEC para administrar os IFS no País na casa de 20%, deixando as unidades em situação difícil.


Caso o Congresso Nacional aprove dividir as reitorias dos IFs hoje espalhados no País, criando 10 novas reitorias, deverá tirar dos poucos recursos do orçamento para instalar os novos prédios administrativos e dividir os poucos servidores administrativos.


O IFRN

O IFRN possui cerca de 48 mil alunos nos seus 22 campi distribuídos por todas as regiões do Estado do Rio Grande do Norte, oferecendo cursos técnicos e superiores, nas modalidades presencial e à distância. São mais de 3 mil servidores.


O orçamento anual de manutenção desta estrutura, considerada fundamental para o crescimento regional, é de mais ou menos R$ 650 milhões, praticamente o orçamento anual da Prefeitura de Mossoró.



Com informações do Mossoró Hoje

コメント


PUBLICIDADE

bottom of page