RN recebeu 327 respiradores do Governo Federal para enfrentar pandemia

O Brasil conta agora com o reforço de 9.920 ventiladores pulmonares entregues pelo Ministério da Saúde para auxílio no atendimento aos pacientes com Covid-19. Os equipamentos foram entregues em todos os estados e no Distrito Federal. A compra e distribuição dos ventiladores pulmonares é parte do apoio estratégico do Governo do Brasil no atendimento aos estados.

Os equipamentos foram distribuídos da seguinte forma: Acre (170); Alagoas (222); Amapá (105); Amazonas (222); Bahia (673); Ceará (303); Distrito Federal (250); Espírito Santo (234); Goiás (532); Maranhão (288); Mato Grosso (240); Mato Grosso do Sul (219); Minas Gerais (728); Pará (427); Paraíba (332); Paraná (586); Pernambuco (220); Piauí (179); Rio de Janeiro (1.022); Rio Grande do Norte (327); Rio Grande do Sul (659); Rondônia (275); Roraima (162); Santa Catarina (138); São Paulo (1.096); Sergipe (186), e Tocantins (125).

A distribuição para os municípios e unidades de saúde é de responsabilidade de cada estado, conforme planejamento local. As entregas levam em conta a capacidade instalada da rede de assistência em saúde pública - principalmente nos locais onde a transmissão está se dando em maior velocidade.

A aquisição destes equipamentos é de responsabilidade dos estados e municípios. Mas, diante do cenário de emergência por conta da pandemia do novo Coronavírus, o Ministério da Saúde utilizou o seu poder de compra em apoio irrestrito aos gestores locais do SUS.

A Pasta assinou, até o momento, cinco contratos com empresas brasileiras para a produção de 16.252 ventiladores pulmonares, sendo: 6.500 com a Magnamed, no valor de R$ 322,5 milhões; 4.300 com a Intermed, no valor de R$ 258 milhões; 3.300 com a KTK, no valor de R$ 78 milhões; 1.202 com a empresa Leistung, no valor de R$ 72 milhões, e 950 com a WEG, no valor de R$ 57 milhões. O esforço envolve mais de 15 instituições, entre fabricantes, processadores, instituições financeiras e empresas de alta tecnologia. A distribuição tem ocorrido conforme a capacidade de produção da indústria nacional, que depende de algumas peças que são importadas.


AÇÃO INTERMINISTERIAL

Uma parceria entre o Ministério da Saúde e os ministérios da Economia e Ciência e Tecnologia, além da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), realizou um mapeamento do parque industrial nacional, quando foram identificadas as capacidades de cada setor para o fornecimento de ventiladores pulmonares. Nesse mapeamento, encontrou-se empresas com escala pequena de produção - mas que tinham expertise - e outras que poderiam contribuir para expandir as entregas em um menor espaço de tempo possível.

O projeto ainda envolve o Ministério das Relações Exteriores - para priorização de recebimento de peças; o Ministério da Justiça - para escoltas e segurança da distribuição de equipamentos e insumos, e o Ministério da Defesa - que fornece armazéns nas capitais para estoque de materiais e a logística de distribuição para o país, por meio da Força Aérea Brasileira (FAB), quando necessário.

No início da pandemia, o Brasil contava com 65.411 ventiladores pulmonares, sendo que 46.663 estavam disponíveis no SUS. Além da aquisição de ventiladores pulmonares, o Ministério da Saúde já habilitou mais de 9 mil leitos de UTI em todo o Brasil para atendimento exclusivo de pacientes com Covid-19.

Ventiladores pulmonares entregues em estados e municípios até 09/08/2020



Grande Ponto


PUBLICIDADE