Rogério Marinho sobre Sistema Seridó: "Projeto para quem gosta do Brasil"

Adalberto Marques/Ascom MDR

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) anunciaram, nesta quinta-feira (26), a abertura de licitação para selecionar a empresa que vai elaborar o projeto executivo e estudos complementares para a construção do Sistema Seridó, no Rio Grande do Norte. O governo potiguar cedeu os estudos de viabilidade técnica, econômico-financeira e ambiental e o projeto básico dos sistemas adutores.

A abertura da licitação é o primeiro passo para a execução das obras do Sistema Seridó, que vai abastecer cerca de 280 mil pessoas em 24 municípios do Rio Grande do Norte. Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, a iniciativa tem por objetivo levar mais qualidade de vida para as famílias da região que sofrem constantemente com a escassez de água.

"É uma satisfação estar propiciando, permitindo que as pessoas tenham acesso a um bem tão importante, que significa um diferencial civilizatório com geração de emprego, renda e oportunidades”, ressaltou Marinho. “É um projeto para quem gosta do Brasil e entende que o nosso País pode muito mais", completou.

A estimativa é de que o Governo Federal invista cerca de R$ 280,6 milhões para a construção de mais de 330 quilômetros de canais adutores, estações de bombeamento e de tratamento e pontos de captação de água. O Projeto Seridó, com 10 trechos, será executado em duas etapas (Norte e Sul).

O Sistema Seridó Norte vai captar água no Reservatório Armando Ribeiro Gonçalves, em Jucurutu (RN), e inclui cerca de 190 quilômetros de adutoras de água, implantação e/ou ampliação de oito estações de bombeamento de água, implantação de um booster e ampliação da estação de tratamento de água de Jucurutu. O aporte federal nesta fase será de R$ 177,6 milhões.

Já o Sistema Seridó Sul levará as águas do Rio São Francisco, a partir do Reservatório Oiticica, para a região com a construção de 140 quilômetros de canais adutores, além da implantação de três pontos de captação de água bruta em sistema flutuante em Oiticica e nas Barragens Carnaúba e Esguicho. Também há a previsão de investimentos para implantação de seis estações de bombeamento de água e de um booster, além da construção da ETA Ouro Branco e da ampliação da ETA Passagem das Traíras. O valor estimado para desembolso do MDR é de R$ 102,9 milhões.

"Com essa adutora, que é um sistema complexo e inteligente que vai funcionar por meio de uma compensação de bacias naquela região, atenderemos cerca de 280 mil pessoas que hoje vivem com o apoio de carros-pipa. Essas pessoas terão segurança hídrica, ao mesmo tempo em que será possível reduzir os gastos do Estado e do Governo Federal nessas operações", explicou o presidente da Codevasf, Marcelo Moreira.

As localidades potiguares beneficiadas com o Sistema Seridó serão Acari, Bodó, Cerro Corá, Carnaúba dos Dantas, Caicó, Cruzeta, Currais Novos, Equador, Florânia, Ipueira, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, Jucurutu, Lagoa Nova, Ouro Branco, Parelhas, São Fernando, São Vicente, São João do Sabugi, São José do Seridó, Santana do Seridó, Serra Negra do Norte, Timbaúba dos Batistas e Tenente Laurentino Cruz.


PUBLICIDADE

© 2020. Portal Potiguar. Todos os direitos reservados.