Sindicato dos Servidores não aceitará que Fátima parcele atrasados em 24 meses

Assecom RN

O Sindicato dos Servidores da Administração Direta do Estado (Sinsp-RN) disse que não aceitará o pagamento das duas folhas atrasadas de forma parcelada ao longo dos próximos 24 meses restantes do governo Fátima, conforme afirmou o secretário de Tributação Carlos Eduardo Xavier em entrevista ao Bom Dia RN nesta terça-feira (29).


“O SINSP não aceita a decisão do governo, pois sabe que o Estado recebeu recursos extras vindos de governo Federal, que geraram um saldo positivo de R$ 486 milhões, quando comparado as percas de ICMS, FPE, somados aos valores encaminhados pela Lei 173/2020. Ou seja, o Estado recebeu R$ 486 milhões que não eram esperados!”, escreveu o sindicato em texto divulgado em seu site.


O Sinsp calcula que, caso a dívida seja parcelada, um servidor que ganha salário mínimo, que na época era R$ 954,00, vai receber apenas R$ 35,37 mensais durante dois anos, com o desconto do IPERN já aplicado.


“É um verdadeiro absurdo! É preciso que os servidores públicos e toda a sociedade se mobilizem para cobrar do Estado o direito de receber com urgência as duas folhas de salário em atraso. O servidor público não aguenta mais”, acrescenta.


PUBLICIDADE

© 2020. Portal Potiguar. Todos os direitos reservados.