top of page

Fátima é acusada de improbidade administrativa por compra de R$ 1,3 mi em sacos hospitalares


Reprodução

A governadora Fátima Bezerra (PT) e o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, são alvos de representação enviada ao Ministério Público Federal (MPF) pela suposta prática de improbidade administrativa ao contratar uma empresa recém-aberta para fornecimento de sacos hospitalares por R$ 1,3 milhões em agosto do ano passado.


De acordo com a a representação enviada à procuradora Cibele Benevides, chefe do MPF-RN, a empresa “A. C. Comércio de Produtos de Limpeza EIRELI”, foi aberta em 03 de julho de 2020, e foi contratada por meio de dispensa de licitação no dia 28 de agosto de 2020, o que, segundo o pedido, poderia ensejar um ato de improbidade.


Por fim, é pedido o afastamento da governadora e do secretário. O pedido foi protocolado no último dia 24 de fevereiro.



Justiça Potiguar

留言


PUBLICIDADE

bottom of page