Partido da Mulher Brasileira muda de nome; Bolsonaro cogita se filiar

A diretoria do Partido da Mulher Brasileira (PMB) aprovou no sábado, 24, a mudança de nome para Brasil 35. A sigla é comandada por Suêd Haidar Nogueira e é uma das cotadas para o presidente da República, Jair Bolsonaro, se filiar. O mandatário está sem partido desde que deixou o PSL, em novembro de 2019, para tentar criar o Aliança pelo Brasil.

Reprodução

O PMB, fundado em 2008, elegeu 46 vereadores e uma prefeita nas eleições municipais de 2020. Conquistou o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2015. Na esfera federal, não elegeu nenhum deputado ou senador. Tem 48.341 filiados. O novo nome ainda não foi aprovado pela Corte eleitoral.


Ao jornal O Globo, Haidar negou que a mudança do nome tenha relação com uma possível filiação do presidente. Mas disse “manter conversas” com Bolsonaro e seu filho 01, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

“Houve, sim, uma conversa com o presidente. E tem que existir diálogo. A gente continua conversando com todos os partidos. O partido não tem que entrar numa bola dividida que não é nossa. Foi uma conversa muito tranquila, de discussão da questão das pautas necessárias, que foram várias, por exemplo, a questão da saúde, educação. E da possibilidade de o presidente vir [para o PMB] foi feita da forma que ele deve ter procurado conversas com outros partidos. Não foi só com a nossa equipe”, disse a presidente nacional do Brasil 35 à publicação.


Com informações Poder 360

PUBLICIDADE